A matéria escura não é tão escura assim.

Os astrônomos acreditam ter observado os primeiros sinais potenciais de matéria escura interagindo com uma força diferente da gravidade. Isso significa que ela pode não ser tão “escura” assim. Uma equipe internacional de cientistas, liderada por pesquisadores da Universidade de Durham, Reino Unido, fez a descoberta usando o telescópio espacial Hubble e o Very Large Telescope do Observatório Europeu do Sul para ver a colisão simultânea de quatro galáxias distantes no centro de um aglomerado de galáxias a 1,3 bilhão de anos-luz da terra.

Os pesquisadores disseram que um aglomerado de matéria escura parecia estar ficando para trás da galáxia que originalmente rodeava.  Segundo os especialistas, a matéria escura estava deslocada 5 mil anos-luz de sua galáxia, uma distância que a sonda Voyager da NASA levaria 90 milhões de anos para viajar. Tal afastamento é previsto durante as colisões se a matéria escura interagir, mesmo ligeiramente, com outras forças além da gravidade.

As simulações de computador mostram que o atrito extra a partir da colisão faria a matéria escura desacelerar e, eventualmente, ficar para trás. Os cientistas acreditam que existem aglomerados de matéria escura no interior de todas as galáxias. Ela é chamada de “escura” porque interage somente com a gravidade e, portanto, seria invisível. Ninguém sabe ao certo o que é a matéria escura, mas acredita-se que ela ocupe 85% da massa do universo.

Sem o efeito restritivo da gravidade extra da matéria escura, galáxias como a nossa Via Láctea iriam se desfazer enquanto giram. No último estudo, os pesquisadores foram capazes de “ver” o aglomerado de matéria escura por causa do efeito de distorção que a sua massa tem sobre luz das galáxias ao fundo – uma técnica chamada de lente gravitacional.

Os pesquisadores acrescentam que o achado potencialmente exclui a teoria padrão da matéria escura, na qual ela interage apenas com a gravidade.

“Nós costumávamos pensar que a matéria escura ficava lá, cuidando da sua própria vida. Mas se ela realmente desacelerou nesta colisão, podemos ter visto a primeira evidência dinâmica de que a matéria escura ‘percebe’ o mundo ao seu redor. A matéria escura pode não ser completamente ‘escura’ no fim das contas”, afirma o autor principal do estudo, Richard Massey, da Universidade de Durham.

Fonte: http://hypescience.com/

Acesse nosso Facebook – https://www.facebook.com/UniversoGenial?ref=hl

Acesse nosso Twitter – https://twitter.com/universo_genial

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s