As Luas do Sistema Solar.

Desde que Galileu descobriu os quatro satélites de Júpiter em 1910, ficamos sabendo que esta não era uma exclusividade da Terra: outros planetas também tinham suas “luas”. Com o passar do tempo foram descobertos outros satélites em outros planetas e a lista foi crescendo. Sir Willian Herschel (1792-1871) construiu telescópios cada vez maiores para descobrir satélites menores e mais escuros, dando início a uma corrida que continua até hoje. Podemos encontrar alguns livros que listaram estes satélites, mas eles ficaram rapidamente desatualizados.Veja logo abaixo uma tabela completa com todas as Luas do nosso Sistema Solar!105463_Papel-de-Parede-Solo-Lunar_1024x768

A cada salto tecnológico mais e mais satélites são descobertos.Nos últimos anos, a construção de telescópios maiores e o envio de sondas aumentou rapidamente o número de luas conhecidas. Trabalhando na magnitude limite dos telescópios, novos satélites são descobertos, “perdidos” e reencontrados, tornando a tarefa cada vez mais difícil. Hoje são detectados satélites de apenas um quilômetro de diâmetro!

Inicialmente sua identificação era feita por nomes. Durante algum tempo foram adotados algarismos romanos por ordem de descoberta, como foi o caso de Júpiter XIV, ou J-XIV, que mais tarde recebeu o nome de Thebe. Mais recentemente foram seguidas as normas da IAU (sigla em inglês da União Internacional de Astronomia). Esta identificação provisória é feita com o prefixo “s/”, para indicar satélite, o ano do descobrimento, uma letra para identificar o planeta e o número seqüencial da descoberta. Por exemplo, s/2004 S3 identifica o terceiro satélite de Saturno descoberto em 2004.

Esta identificação provisória só é abolida após a confirmação e o levantamento de seus dados orbitais. E esta exigência tem de ser cumprida, sob pena de perdermos o controle. Por exemplo, o satélite batizado de Temisto, estudado como sendo s/2000 J1 era o mesmo já registrado anteriormente como s/1975 J1.
Como as descobertas foram feitas ao longo de um grande período, as três nomenclaturas são obrigadas a partilhar da mesma listagem.
Os últimos números chegam a 157 luas! Manter uma listagem atualizada destas luas é uma tarefa quase impossível e pode conter imprecisões devidas a estes fatores.

Luas por planeta

Planeta Número de luas
Mercúrio 0
Vênus 0
Terra 1
Marte 2
Júpiter 63
Saturno 50
Urano 27
Netuno 13
Plutão 1
Total 157

Para uma melhor visão da situação atual vamos listar todas elas, mantendo todas as nomenclaturas anteriores para permitir o cruzamento de informações. Estão incluídas mesmo as descobertas mais recentes, ainda não confirmadas.
A listagem tem algumas de suas principais características, como nome, diâmetro, numeração e identificação provisória, por ordem de distância do planeta. Alguns dados ainda não são disponíveis. No caso de corpos irregulares, o diâmetro indicado é a maior dimensão.

Luas do sistema solar

Nome Diâmetro (km) Número Ident. prov. Raio órbita (km)
Terra
Lua 3.476 384.390
Marte
Phobos 27 9.378
Deimos 15 23.459
Júpiter
Metis 43 J-XVI 128.000
Adrastea 16 J-XV 129.000
Amalthea 167 J-V 181.400
Thebe 99 J-XIV 221.900
Io 3.643 J-I 421.800
Europa 3.122 J-II 671.100
Ganymede 5.262 J-III 1.070.400
Callisto 4.821 J-IV 1.882.700
Temisto 8 J-XVIII s/1975 J1 7.507.000
Leda 20 J-XIII 11.165.000
Himalia 170 J-VI 11.461.000
Lysithea 36 J-X 11.717.000
Elara 86 J-VII 11.741.000
4 J-XXXI s/2000 J11 12.555.000
Carpo 3 J-XLVI s/2003 J20 17.056.000
2 s/2003 J3 18.339.900
1 s/2003 J12 19.002.500
Euporie 4 J-XXXIV s/2001 J10 19.394.000
Iocaste 5 J-XXIV s/2000 J3 20.216.000
Mneme 2 J-XL s/2003 J21 20.600.000
Thelxinoe 2 J-XLII s/2003 J22 20.700.000
2 s/2003 J18 20.700.000
Helike 4 J-XLV s/2003 J6 20.979.100
2 s/2003 J16 21.000.000
Euanthe 6 J-XXXIII s/2001 J7 21.027.000
6 s/2003 J7 21.027.000
Harpalyke 4 J-XXII s/2000 J5 21.132.000
Praxidike 7 J-XXVII s/2000 J7 21.147.000
Orthosie 4 J-XXXV s/2001 J9 21.168.000
Hermippe 8 J-XXX s/2001 J3 21.252.000
Ananke 28 J-XII 21.276.000
Thyone 8 J-XXIX s/2001 J2 21.312.000
2 s/2003 J15 22.000.000
2 s/2003 J17 22.000.000
Kallichore 2 J-XLIV s/2003 J11 22.395.400
1 s/2003 J9 22.441.700
2 s/2003 J19 22.810.000
Pasithee 4 J-XXXVIII s/2001 J6 23.029.000
Arche 3 J-XLIII s/2002 J1 23.064.000
Isonoe 4 J-XXVI s/2000 J6 23.078.000
Kale 4 J-XXXVII s/2001 J8 23.124.000
Eurydome 6 J-XXXII s/2001 J4 23.219.000
2 s/2003 J4 23.257.900
Erinome 3 J-XXV s/2000 J4 23.279.000
Taygete 5 J-XX s/2000 J9 23.312.000
Chaldene 4 J-XXI s/2000 J10 23.387.000
Carme 46 J-XI 23.404.000
Aitne 6 J-XXXI s/2001 J11 23.547.000
Kalyke 5 J-XXIII s/2000 J2 23.583.000
Pasiphae 60 J-VIII 23.624.000
Aoede 4 J-XLI s/2003 J7 23.807.700
Sponde 4 J-XXXVI s/2001 J5 23.808.000
Megaclite 5 J-XIX s/2000 J8 23.911.000
Sinope 38 J-IX 23.939.000
Cyllene 2 J-XLVIII s/2003 J13 24.000.000
Callirrhoe 9 24.102.000
4 s/2003 J5 24.084.200
Autonoe 8 J-XXVIII s/2001 J1 24.122.000
2 s/2003 J10 24.249.600
Hegemone 2 J-XXXIX s/2003 J8 24.514.100
Eukelade 4 J-XLVII s/2003 J1 24.557.300
2 s/2003 J14 25.000.000
2 s/2003 J2 28.570.400
Saturno
Pan 19 S-XVIII s/1981 S13 133.583
7 s/2005 S1 136.505
Atlas 40 S-XV s/1980 S28 137.670
Prometheus 144 S-XVI s/1980 S27 139.353
5 s/2004 S6 140.000
5 s/2004 S4 140.100
8 s/2004 S3 140.580
Pandora 84 S-XVII s/1980 S26 141.700
Epimetheus 72 S-XI s/1980 S3 151.422
Janus 196 S-X s/1980 S1 151.472
Mimas 397 S-I 185.520
Methone 6 S-XXXII s/2004 S1 194.000
Pallene 8 S-XXXIII s/2004 S2 211.000
Enceladus 500 S-II 238.020
Telesto 34 S-XIII s/1980 S13 294.619
Tethys 1060 S-III 294.660
Calypso 34 S-XIV s/1980 S25 294.660
Helene 36 S-XII s/1980 S6 377.400
Dione 1120 S-IV 377.400
Polydeuces 3,5 s/2004 S5 377.400
Rhea 1.528 S-V 527.040
Titan 5.150 S-VI 1.221.830
Hyperion 410 S-VII 1.481.100
Iapetus 1.460 S-VIII 3.561.300
Kiviuq 14 S-XXIV s/2000 S5 11.370.000
Ijiraq 10 S-XXII s/2000 S6 11.440.000
Phoebe 220 S-IX 12.952.000
Paaliaq 19 S-XX s/2000 S2 15.200.000
Skadi 6 S-XXVII s/2000 S8 15.650.000
Albiorix 26 S-XXVI s/2000 S11 16.390.000
6 s/2004 S11 16.950.000
Erriapo 9 S-XXVIII s/2000 S10 17.610.000
Siarnaq 32 S-XXIX s/2000 S3 18.160.000
Tarvos 13 S-XXI s/2000 S4 18.240.000
6 s/2004 S13 18.450.000
4 s/2004 S17 180.600.000
Mundilfari 5 S-XXV s/2000 S9 18.710.000
Narvi 8 S-XXXI s/2003 S1 18.720.000
6 s/2004 S15 18.750.000
6 s/2004 S10 19.350.000
Suttung 5 S-XXIII s/2000 S12 19.470.000
5 s/2004 S12 19.650.000
5 s/2004 S18 19.650.000
5 s/2004 S9 19.800.000
6 s/2004 S7 19.800.000
6 s/2004 S14 19.950.000
Thrymr 5 S-XXX s/2000 S7 20.470.000
4 s/2004 S16 22.200.000
6 s/2004 S8 22.200.000
Ymir 16 S-XIX s/2000 S1 23.100.000
Urano
Cordelia 26 U-VI s/1986 U7 49.750
Ophelia 32 U-VII s/1986 U8 53.760
Bianca 44 U-VIII s/1986 U9 59.160
Cressida 66 U-IX s/1986 U3 61.770
Desdemona 58 U-X s/1986 U6 62.660
Juliet 84 U-XI s/1986 U2 64.360
Portia 110 U-XII s/1986 U1 66.100
Rosalind 54 U-XIII s/1986 U4 69.930
12 s/2003 U2 74.800
Belinda 68 U-XIV s/1986 U5 75.260
80 U-XVIII s/1986 U10 75.000
Puck 154 U-XV s/1985 U1 86.010
16 s/2003 U1 97.700
Miranda 472 U-V 129.780
Ariel 1.158 U-I 191.240
Umbriel 1.169 U-II 265.970
Titania 1.578 U-III 435.840
Oberon 1.523 U-IV 582.600
12 s/2001 U3 4.281.000
Caliban 98 U-XVI s/1997 U1 7.169.000
Stephano 20 U-XX s/1999 U2 7.948.000
Sycorax 190 U-XVII s/1997 U2 12.213.000
11 s/2003 U3 14.688.700
Prospero 30 U-XVIII s/1999 U3 16.568.000
Setebos 30 U-XIX s/1999 U1 17.681.000
Trinculo 10 U-XXI s/2001 U1 8.571.000-
12 s/2001 U2 20.901.000
Netuno
Naiad 58 N-III s/1989 N6 48.000
Thalassa 80 N-IV s/1989 N5 50.000
Despina 148 N-V s/1989 N3 52.500
Galatea 158 N-VI s/1989 N4 62.000
Larissa 208 N-VII s/1989 N2 73.600
Proteus 400 N-VIII s/1989 N1 117.600
Triton 2.700 N-I 354.800
Nereid 340 N-II 5.513.400
24 N-IX s/2002 N1 15.686.000
24 N-X s/2002 N2 22.452.000
24 N-XI s/2002 N3 22.580.000
30 N-XII s/2002 N4 46.570.000
14 N-XIII s/2003 N1 46.738.000
Plutão
Charon 1.186 P-I s/1978 P1 19.410
Anúncios

2 comentários em “As Luas do Sistema Solar.

  1. Olá, este artigo é muito interessante e bem informativo porém eu penso que Plutão possui cinco luas, se não estou enganada.

    Colo abaixo um trecho sobre este Tema extraído de Wikipédia:

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Plut%C3%A3o
    Satélites naturais [editar]

    Ver artigo principal: Satélites de Plutão

    Plutão e três das cinco luas.

    Fotografia de Plutão e Caronte tirada pela Faint Object Camera do Telescópio Espacial Hubble.

    Diagrama do sistema de Plutão.
    Plutão possui cinco satélites naturais conhecidos: Caronte, descoberto em 1978 pelo astrônomo James Walter Christy, e outras quatro luas menores, Nix e Hidra, ambas descobertas em 2005, S/2011 (134340) 1, descoberta em 2011, e S/2012 (134340) 1, descoberta em julho de 2012.17 90 2
    As luas de Plutão estão estranhamente perto de Plutão, em comparação com outros sistemas. Luas poderiam potencialmente orbitar Plutão a mais de 53% (69%, se retrógradas) do raio da esfera de Hill, a zona gravitacional estável da influência de Plutão. Psámata, por exemplo, orbita Netuno a 40% do raio de Hill. No caso de Plutão, somente os 3% internos da zona são ocupados por satélites. De acordo com os descobridores, o sistema de Plutão aparenta ser “altamente compacto e amplamente vazio”,91 embora outros apontem a possibilidade de um sistema de anéis.92
    Caronte [editar]
    Ver artigo principal: Caronte
    O sistema Plutão-Caronte é notável por ser o maior dos poucos planetas binários do Sistema Solar, definidos assim quando o baricentro se localiza acima da superfície do corpo primário (617 Patroclus é um exemplo menor).93 Isso e o grande tamanho de Caronte em relação a Plutão levou alguns astrônomos a chamá-lo de um planeta anão duplo.94 O sistema também é incomum pelo fato de haver acoplamento de marés nele, ou seja, o lado de Plutão virado para Caronte é sempre o mesmo e vice-versa.95 Por causa disso, o período de rotação dos dois corpos é igual ao período orbital em volta do centro de massa comum.56 Como Plutão gira de lado em relação ao plano orbital, o sistema Caronte também faz isso.57 Em 2007, observações de hidrato de amônia e cristais de água na superfície de Caronte feitas pelo Observatório Gemini sugerem a presença de crio-gêiseres ativos.96
    Nix e Hidra [editar]
    Ver artigos principais: Nix (satélite) e Hidra (satélite)
    Duas luas de Plutão adicionais foram fotografadas pelo Telescópio Espacial Hubble em 15 de maio de 2005, que receberam as designações provisórias S/2005 P 1 e S/2005 P 2. A União Astronômica Internacional nomeou oficialmente essas luas de Nix e Hidra em 21 de julho de 2006.97
    Essas pequenas luas orbitam Plutão a aproximadamente duas e três vezes, respectivamente, a distância de Plutão a Caronte: Nix a 48 700 km e Hidra a 64 800 km do baricentro do sistema. Elas têm órbitas prógradas quase circulares que estão no mesmo plano orbital de Caronte e estão bem perto de uma ressonância orbital 4:1 e 6:1 com Caronte.98
    Observações de Nix e Hidra para revelar característica individuais estão em andamento. Às vezes Hidra é mais brilhante que Nix, sugerindo que é maior ou possui partes da sua superfície que variam o brilho. Os tamanhos são estimados a partir dos albedos. A similaridade espectral de Nix, Hidra e Caronte sugerem um albedo de 35%, similar ao de Caronte. Esse valor resulta em um diâmetro estimado de 46 km para Nix e 61 km para Hidra. O limite do diâmetro pode ser estimado assumindo o albedo de 4% dos objetos mais escuros do cinturão de Kuiper. Esses limites são de 137 ± 11 km e 167 ± 10 km, respectivamente.99
    A descoberta de duas pequenas luas sugerem que Plutão pode ter um sistema de anéis variável. Impactos de pequenos corpos podem criar detritos que podem virar anéis planetários. Dados de uma pesquisa óptica pela Advanced Camera for Surveys do Hubble sugerem que não há nenhum sistema de anéis em Plutão. Se um anel existir, ele é tênue comos os anéis de Júpiter ou está fortemente confinado a menos de 1 000 km de largura.92
    Conclusões similares foram feitas a partir de estudos de ocultações.100 Ao fotografar o sistema de Plutão, observações do Hubble colocaram limite em qualquer lua adicional. Com 90% de certeza, nenhuma lua adicional com mais de 12 km (ou no máximo 37 km com um albedo de 0,041) existe além do brilho de Plutão cinco segundos de arco do planeta anão. Isso assume um albedo de 0,38 como o de Caronte; com 50% de certeza o limite é 8 km.101

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s