Interessante: Uma bizarra nova forma de astronomia está surgindo!

Há pouco mais de um ano, no dia 14 de setembro de 2015, cientistas que trabalhavam em duas estruturas gigantes com formato de “L” receberam um sinal em suas telas que mal podiam acreditar. Era a primeira evidência das ondas gravitacionais, ondulações no espaço que viajam pelo universo. Einstein havia feito a previsão da existência de tal onda há cem anos. A descoberta foi anunciada em fevereiro de 2016.

Então, em junho de 2016, a equipe de 900 pesquisadores do Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser (LIGO), anunciou a segunda detecção das ondas gravitacionais, realizada em dezembro de 2015. “Isso confirma – super confirma – que esses eventos não são falhas”, diz Vicky Kalogera, parte da equipe do LIGO. “Elas acontecem na natureza e podemos detectá-las a cada poucos meses”. Depois de alguns upgrades no LIGO realizados nos últimos meses, Kalogera espera detectar pelo menos dez ondas no próximo ano, e até cem ondas por ano com a ajuda do detector europeu Advanced Virgo. Continuar lendo

Anúncios

Nikola Tesla descreveu o smartphones e transmissão de dados sem fio em 1926.

Você já deve ter ouvido falar em Nikola Tesla. Ele foi um físico, mecânico e engenheiro elétrico, além de inventor e “futurista”. Taxado de “cientista louco” durante anos, o revolucionário fez um trabalho teórico extraordinário que serviu de base para sistemas modernos de potência elétrica em corrente alternada.

Na época, sua personalidade excêntrica dificultou a aceitação das pessoas com relação a suas teorias e ideias sobre o futuro. Mas hoje, entusiastas de seu trabalho não faltam, sendo um deles o ambicioso empresário Elon Musk, que fundou uma empresa batizada em homenagem a Tesla.  Hoje é fácil reconhecer a genialidade de Tesla, pois vemos que ele estava certo em muitas de suas previsões. Uma delas, incrivelmente certeira, é que se refere à internet e smartphones. Em 1926, a seu modo, Tesla descreveu, em uma entrevista para a revista Collier, o dispositivo que imaginava, cuja descrição bate perfeitamente com o que temos hoje. Leia abaixo: Continuar lendo

Conheça novo programa para detectar o risco de impacto de asteroides.

Recentemente, aqui no Universo Genial publicamos uma matéria a respeito de como a NASA trabalha para proteger o nosso planeta da colisão de asteroides. Nela, contamos um pouquinho sobre o programa de monitoramento que a agência espacial mantém com a colaboração de agências de outros países, universidades, órgãos governamentais e astrônomos amadores e profissionais.

Pois o programa da NASA não é o único que existe focado na avaliação do risco de colisão de rochas espaciais na Terra. De acordo com a ESA — Agência Espacial Europeia —, o cientista Clemens Rumpf também está trabalhando no desenvolvimento de uma ferramenta capaz de determinar os locais exatos onde os asteroides podem atingir o nosso planeta e inclusive as consequências do choque para a humanidade.  Segundo a ESA, o programa desenvolvido por Clemens se chama ARMOR — de Asteroid Risk Mitigation and Optimization Research Tool — e, além de determinar a probabilidade de que uma rocha espacial colida contra a Terra, ele avalia os possíveis efeitos que o impacto pode provocar, para que os governos possam planejar quais medidas devem ser tomadas para proteger e socorrer a população. Continuar lendo

Einstein e a religião.

Em agosto de 1932, Albert Einstein escreveu, em Caputh, na Alemanha, um texto que chamou de “Meu Credo”, delineando suas ideologias políticas durante seus últimos anos em Berlim. O original foi escrito à mão em alemão e confiado a Konrad Wachsmann, o arquiteto da sua casa de verão. No final de setembro do mesmo ano, Einstein leu seu credo em voz alta e gravou para a Liga Alemã de Direitos Humanos.

Há, aparentemente, apenas 10 dessas gravações originais, em vinil. Abaixo, você pode encontrar a tradução do credo de Einstein, cortesia dos Arquivos Albert Einstein, da Universidade Hebraica de Jerusalém, Israel.  É praticamente desnecessário dizer, mas Einstein era um homem fascinante. Apenas no mês passado, foi anunciado pelo Projeto Einstein Digital que os 80 mil documentos deixados por Einstein agora estão sendo digitalizados para que possam ser livremente consultados online pelo público. Um dos destaques é uma carta de Einstein a Marie Curie em 1911, na qual ele diz, muito simplesmente, para sua estimada colega ignorar os inimigos. Outro é o Credo de Eisntein. Veja: Continuar lendo

E se a Terra fosse do tamanho de um grão de feijão?

Em Astronomia, é comum ver e ouvir números grandes, muito grandes… mas por mais que a gente tente, o nosso cérebro não consegue dimensionar coisas tão grandes assim. A nossa capacidade de compreensão se limita a quilômetros, e mesmo assim, quando os números são muito extensos, novamente fica complicado de entendê-los de verdade.

Por isso preparamos essa matéria especial, e finalmente você vai entender de uma vez por todas o quão grande é o nosso Sistema Solar através de uma escala incrível, além de se surpreender com seus tamanhos e distâncias. Você consegue imaginar a distância real entre o Sol e o planeta Saturno? Ou sequer a distância do Sol ao planeta Terra? O que sabemos até agora é que a Terra fica a 150 milhões de km do Sol. Mas qual é a dimensão disso? Primeiramente vamos as distancias.

Continuar lendo

Se um astronauta mata outro no espaço, ele pode ser julgado?

Entre os dias 13 e 24 de abril, o subcomitê jurídico do Escritório das Nações Unidas para Assuntos do Espaço Sideral (Unoosa, na sigla em inglês) se reuniu em Viena (Áustria) para sua 54ª sessão. Esse grupo de intrépidos juristas, de acordo com a revista “Foreign Policy”, tem por missão estender o direito internacional à medida que nações e empresas vão se aventurando mais longe da Terra.

Eles estão tentando preencher os vácuos jurídicos que cercam, por exemplo, a limpeza dos resíduos que se acumulam em torno do planeta: em 2009, 35 milhões de objetos com mais de 1 milímetro gravitavam à deriva no espaço, com os riscos de colisões aumentando a cada ano. Eles também estão avaliando direitos e deveres de futuros robôs-mineradores em missão de exploração. Por exemplo, deveriam eles servir ao interesse geral, enriquecer uma companhia privada ou os dois? Continuar lendo

Afinal, viajar no tempo é possível?

Quem nunca imaginou como seria viajar no tempo? Esse assunto é tradado há séculos e com certeza é um dos maiores sonhos da humanidade. Primeiramente vamos começar com notícias ruins. Ao que tudo indica nunca poderemos viajar para o passado, ou seja ir de volta no tempo e assistir vários momentos históricos da humanidade. No que se refere a viagem para o futuro a coisa muda, porque de acordo com a teoria da relatividade de Einstein quanto mais veloz você viaja seu tempo passa mais lento em relação a uma pessoa parada.

Isso chamamos de Dilatação do Tempo. Uma prova da dilatação do tempo é a ISS (Estação Espacial Internacional), os relógios que estão na estação são um pouco mais lentos que o nosso. Existe uma outra opção, sugerida por Einstein junto com o físico Nthan Rosen, através de um buraco de minhoca.  Que funciona como um atalho através do espaço e do tempo. Apesar de não termos descoberto nenhum até agora os buracos de minhocas não são descartados. Vamos entender um pouco sobre os buracos de minhocas: Como já falamos aqui a viagem para o passado parece ser praticamente impossível, então convenhamos que pudéssemos criar um buraco de minhoca, ele só nos permitiria viajar de volta no tempo até o instante em que foi criado. Então nunca poderemos ver os momentos históricos da humanidade. Continuar lendo